Domingo, 21 de Setembro de 2008

QUEM NÃO SE LEMBRA DESTE MEU IRMÃO E DA "GRACITA"?

                                 

 A Gracita está encostada à maqueta dos Bombeiros V. de Góis, que ajudou a decorar, e a prima Carla em cima.

 

Quem não se lembra deste meu irmão

E que não era irmão de mais ninguém!

Industrial de Panificação,

Bombeiro havia sido já também!

 

 

Há vinte e quatro anos, em Setembro,

Em Góis deu-se um Cortejo, que deu berra...

Solidário de of'rendas, bem me lembro,

A favor dos Bombeiros cá da terra!

 

 

 A "Gracita", já perto do "acidente"...

 Quem diria que a "flor" se ia perder

  Por negligência médica pungente!...

 

 

Seu pai, que um pão enorme ofereceu,

Ainda era feliz no seu viver.

Mas sofreu muito, e Deus pô-lo no Céu!

C.B.S.

 =======================

                               A G R A Ç A

 

Quem não conhecia a Graça ?!...

Quem não a estimava?!... Teria uns quatro anitos quando a conheci.

Difícil de a distinguir da irmã, à primeira vista. Mas havia algo que as diferenciava no seu rosto e no seu cabelo!

Cresceu. Adolescente, jovial. Ela na Escola e na Catequese. Vejo-a no dia da sua profissão de Fé. Decidida, corajosa.

Vejo-a na Escola Preparatória. Mais rapariga, mas sempre a mesma Graça.

Os olhos resplandeciam a candura do seu coração!

O seu coração revelava o amor da sua Fé.

A sua Fé concretizava-se na Dedicação aos outros. no Amor a Deus, na Caridade autêntica. ERA A GRAÇA!

Pela última vez, não há muito tempo, eu passava na  Rua da Sofia em Coimbra. Ela deparou-se-me de frente, com o mesmo sorriso, a mesma simplicidade, a mesma pureza!

Eu acredito no coração das pessoas! Eu acredito na sua Fé, quando é concretizada em acções, válidas e generosas.

Eu acredito na justiça e na Misericórdia de Deus, Por isso eu acredito que a GRAÇA - Dom de Deus - está junto de Deus na Bem-Aventurança. Por isso se a morte da Graça foi momento de tanta saudade e de lágrimas, é também certeza de que temos na Eternidade alguém que intercede por nós: é ela.

 

Padre António Dinis - Coja

.......................................................................

 

 A Gracita não morreu!  Apenas partiu e no Paraíso Celeste ela continua a viver! Se ela pudesse falar, nos diria: Paizinhos adorados, queridos tios, manos, avós e amigos, sei que muito sofreram, mas para mim o dia que parti, foi o mais lindo que vivi!

 

Maria Vitória Fernandes Nogueira - Treixedo - Santa-Comba-Dão

 

........................

                           ALGUÉM BATEU... ERA A DESGRAÇA!

 

Em sete de Novembro, alguém bateu

De rijo à nossa porta. Era a desgraça!

O Céu estava lindo! Escureceu

E uma nuvem escura nos abraça!

 

 

Essa intervenção "simples" decorreu,

E deixa em semi-coma a nossa Graça.

Recorremos a Deus, no alto Céu,

Mas o mal, implacável, não lhe passa.

 

 

        Com noventa e três dias a sofrer,

        Sem nos poder falar e até ver,

        Chamavam-lhe "Santinha" lá em Celas.

 

 

        O Senhor, dia oito de Fevereiro,

        Mandou um Anjo seu, de jardineiro,

        Colher para si rosa das mais belas!

 C.B.S.

Três apontamentos do livro "Gracita Flor da Saudade (1985)

 .........................................

Como disse  o Snr. Padre Dinis  e  a  amiga  Maria Vitória, a Graça Maria espera-nos no Céu com grande ansiedade.

 

Todos nós sabemos que, quando for destruída esta tenda em que vivemos na terra. temos no Céu uma habitação eterna que não foi feita por mãos humanas. S. Paulo aos Corintos  - Cap. 5-1


publicado por canticosdabeira às 14:29
link do post | comentar | favorito
|
1 comentário:
De Tiago N a 22 de Março de 2014 às 18:07
Adoro tia bj


Comentar post

Sobre a autora

Visitantes desde 08/04/07

Novidades

MOTES DE ALEIXO
E
GLOSAS DE CLARISSE

Selo do Blog


Clarisse Barata Sanches

(Usa Ctrl+C p/copiar
e Ctrl+V p/colar
o selo no seu blog)

Prosa e poesia (por título)

CONSOLAÇÃO

Carta do Marquês. Nov2014

LÁGRIMAS OCULTAS

PASSANTES DA TERRA

TODA ESTA NOITE UM ROUXIN...

SAUDADES E LEMBRANÇAS

QUARENTA ANOS DE DEMOCRAC...

SAUDADES TENHO; SIM; DO N...

MAIS UM GOIENSE, AMIGO, N...

SE EU FOSSE DEPUTADO, QUE...

Prosa e Poesia (por mês)

links

favoritos

A PÁTRIA PORTUGUESA

Outras visitas


Prosa e Poesia (Meus Livros)



Clarisse Barata Sanches
Mais de 12 livros publicados:

Primeiro livro
Cantei ao Céu e à Terra
1983
(Poesias)

Segundo livro
Gracita Flor da Saudade
1985
(Poesias e Memórias)

Terceiro livro
Luz no Presépio
1985
(Poesias)

Quarto livro
Quadras do Meu Outono
1989
(Poesias)

Quinto livro
Hinos da Tarde
1994
(Poesias)

Sexto livro
Arca de Lembranças
1997
(Memórias)

Sétimo livro
Cartas para o Céu
1998
(Poesias)

Oitavo livro
Góis e Seus Poetas
1999
(Poesias - Antologia)

Nono livro
Góis e Seus Poetas
2000
(Poesias - Antologia)

Décimo livro
Murmúrios do Ceira
2002
(Contos e Narrativas)

Décimo primeiro livro
Sonhos da Alma
2004
(Sonetos)

Décimo segundo livro
Rosários de Amor
2008
(Poesias)

Motes de Aleixo e Glosas de Clarisse

Prosa e Poesia (Pesquisa)

 

De Clarisse Barata Sanches

Rosários de Amor

Dedicatória:
Aos “Rosários de Amor”


Boa amiga Clarisse,
Converti-me aos seus Amores.
São lindos os versos-flores!
Chorei... Queria eu que visse...

Não sei que “frio” me toma,
Ao ler tamanha beleza...
Não é frio, concerteza,
É o amor que me assoma.

Beijadas por andorinhas,
Se fazem as suas linhas,
Com glória, honra em flor.

Solta-se o “Grito de Paz”,
E ninguém mais o desfaz
Nos ”Rosários de Amor”.

Rosa Silva (“Azoriana”)
Angra do Heroísmo
2008/04/07

blogs SAPO

subscrever feeds