Quarta-feira, 19 de Setembro de 2012

SERÁ NOVA MODA?

                                 

 

 

 

POR HUMBERTO PINHO DA SILVA - BLOG PAZ

 

Correu em Coimbra, o julgamento de menores, envolvidos no abuso sexual a colega de 12 anos.

Trago este caso à presença dos leitores, porque ilustra, e bem, o estado a que chegou a juventude, resultante da lavagem cerebral, que ao longo dos anos a mass-media tem realizado nas camadas mais jovens,

O descuido dos pais, a educação livre de “preconceitos”, tanto do agrado de libertinos, a perda de valores e o ateísmo que campeia na sociedade, incentivado por quem confunde liberdade com libertinagem, leva a casos como este.

Mas vamos aos factos relatados no “ Correio da Manhã” de 09/06/2012.

Um jovem torna-se amigo de estudante da escola que frequenta.

A determinado passo, pede à colega, que tem 12 anos, foto ao natural, e ela não viu inconveniência.

Na posse do retrato da menina nua, começa a exigir, sob ameaça de a mostrar a colegas e aos pais, relações sexuais.

Com o andar do tempo, a mocinha viu-se constrangida a aceitar agressões e aceder que as cenas fossem filmadas e assistidas por outros colegas da escola.

Receosa, tudo fazia, até o dinheiro para alimentação, que os pais lhe davam, tiravam-lhe. Desesperada, violada semanalmente pelos colegas, humilhada por todos, terminou por tentar suicídio, cortando-se com vidros.

A vitima - apesar da pouca idade, - também é , a meu ver, responsável, já que achou natural dar a colega, foto em que aparecia nua.

Caso semelhante aconteceu, igualmente, em Coimbra. Interveniente no caso acima descrito, tinha namorada de 14 anos, e como lhe pedisse fotografia, esta entregou-lhe uma em que estava despida.

O resultado foi ser chantageada, e não teve outro remédio senão entregar-lhe corpo e dinheiro.

Casos semelhantes de entrega de fotos sem roupa, chegam ao nosso conhecimento, ocorridos em escolas ou Internet.

Não culpo as jovens, que são vítimas da influência nefasta da televisão. Internet e até da imprensa, que sem pudor, mostra fotos obscenas no “Relax”; e também por “ conselheiras” de revistinhas femininas, verdadeiros antros de perversão de jovens, acicatando-as a entregarem-se ao prazer livre e irresponsável.

As mocinhas, e também rapazes - mormente na puberdade, - são presas fáceis desses torpes verdugos, que as desrespeitam e as animalizam, tornando-as despudoradas, transformando-as em puros objectos de prazer.

Que futuro terá a nossa sociedade? …a mesma, certamente, de todas que descambaram na lama imunda. 

 

---------------------------------------------------------------------------------------------------

 

 Meu prezado Amigo Humberto.

 

 Infelizmente é a moda que hoje temos em Portugal e no mundo. Ao que chegaremos já se adivinha. Um mundo completamente desprovido de moral e a envergonhar as barbas dos nossos avós já na outra vida. Porque estamos em crise material? , porque  estamos num mundo sem vergonha das vergonhas. Tenho saudades dos nossos valores morais que os nossos antepassados nos transmitiram, para que os fossemos mostrando aos vindouros. Que temos hoje como exemplos edificantes para mostrar às crianças do nosso tempo? Uma pura bandalheira por essas ruas além a qualquer hora da noite. Para melhor se identificarem está de novo a casa dos segredos que vai revelando tudo dos pés à cabeça. Quando entrevistam crianças ainda pequenas, não se esquecem de perguntar: Já namoras?. Algumas, coitadinhas, nem sabem. ainda, o que é e ficam envergonhadas.

 

Os pais deitam tudo para detrás das costas e nem têm freio que nós tinhamos antigamente. Veio também a moda do sair à noite que os pais já não conseguem impedir.Desrespeitam-se os professores e bulham  dentro da aula e tudo. Mas segundp li, há agora um regulamento de responsabilizar os pais pela deficiente educação que lhe dão. Uma multazinha de vez em quando também faz bem.

 

Antigamente no tempo do meu pai que era Regedor. se alguém dizia uma palavra a mais; ele logo repreendia e dizia: não vê que está ali a minha filha? E cada palavra daquelas que se dizem a todo o momento quando pisam um pé, nesse tempo já se pagava de multa 400 escudos com mais cinco tostões.

 

Agora as maiores é a toda hora. Até na manifestação do Domingo traziam grandes taboletas com as maiores asneiras que conheço. Por aqui já vè o meu amigo como isto anda de moral... É a grande moda!

 

Se fosse como antigamente, arranjavam muito dinheiro para a crise que não dominam. Primeiro educam-se e depois aguarda-se o resultado.

 

Por hoje é tudo. Fez bem alertar a sociedade que anda desorientada e talvez com alguma razão. Não temos tido quem nos saiba governar bem.

 

Boa saúde

 

Clarisse

publicado por solpaz às 10:18

publicado por canticosdabeira às 15:28
link do post | comentar | favorito
|

Sobre a autora

Visitantes desde 08/04/07

Novidades

MOTES DE ALEIXO
E
GLOSAS DE CLARISSE

Selo do Blog


Clarisse Barata Sanches

(Usa Ctrl+C p/copiar
e Ctrl+V p/colar
o selo no seu blog)

Prosa e poesia (por título)

CONSOLAÇÃO

Carta do Marquês. Nov2014

LÁGRIMAS OCULTAS

PASSANTES DA TERRA

TODA ESTA NOITE UM ROUXIN...

SAUDADES E LEMBRANÇAS

QUARENTA ANOS DE DEMOCRAC...

SAUDADES TENHO; SIM; DO N...

MAIS UM GOIENSE, AMIGO, N...

SE EU FOSSE DEPUTADO, QUE...

Prosa e Poesia (por mês)

links

favoritos

A PÁTRIA PORTUGUESA

Outras visitas


Prosa e Poesia (Meus Livros)



Clarisse Barata Sanches
Mais de 12 livros publicados:

Primeiro livro
Cantei ao Céu e à Terra
1983
(Poesias)

Segundo livro
Gracita Flor da Saudade
1985
(Poesias e Memórias)

Terceiro livro
Luz no Presépio
1985
(Poesias)

Quarto livro
Quadras do Meu Outono
1989
(Poesias)

Quinto livro
Hinos da Tarde
1994
(Poesias)

Sexto livro
Arca de Lembranças
1997
(Memórias)

Sétimo livro
Cartas para o Céu
1998
(Poesias)

Oitavo livro
Góis e Seus Poetas
1999
(Poesias - Antologia)

Nono livro
Góis e Seus Poetas
2000
(Poesias - Antologia)

Décimo livro
Murmúrios do Ceira
2002
(Contos e Narrativas)

Décimo primeiro livro
Sonhos da Alma
2004
(Sonetos)

Décimo segundo livro
Rosários de Amor
2008
(Poesias)

Motes de Aleixo e Glosas de Clarisse

Prosa e Poesia (Pesquisa)

 

De Clarisse Barata Sanches

Rosários de Amor

Dedicatória:
Aos “Rosários de Amor”


Boa amiga Clarisse,
Converti-me aos seus Amores.
São lindos os versos-flores!
Chorei... Queria eu que visse...

Não sei que “frio” me toma,
Ao ler tamanha beleza...
Não é frio, concerteza,
É o amor que me assoma.

Beijadas por andorinhas,
Se fazem as suas linhas,
Com glória, honra em flor.

Solta-se o “Grito de Paz”,
E ninguém mais o desfaz
Nos ”Rosários de Amor”.

Rosa Silva (“Azoriana”)
Angra do Heroísmo
2008/04/07

SAPO Blogs

subscrever feeds