Quinta-feira, 11 de Agosto de 2011

OS NOSSOS IDOSOS

 

         

 

 

 

Publicado no jornal O Amigo do Povo de 24 de Julho de 2011

 

Muitos idosos portugueses são maltratados. Isto é o que se depreende de um estudo da Organização Mundial de Saúde.

Dos 53 países europeus analisados pelo relatório, Portugal surge entre os cinco piores no tratamento aos mais velhos, juntamente com a Sérvia, Áustria, Israel e República da Macedónia.

Por dia, quatro milhões de idosos são vítimas de humilhações físicas e psicológicas na Europa. A Directora da OMS para a Europa, Zsuzsanna Jacob, considera a situação “muito grave”. No caso específico de Portugal, este é considerado um “problema sério”.

“As pessoas não têm vergonha de discriminar os idosos, ao contrário do que acontece com a discriminação por razões étnicas ou de género, considerou uma especialista na matéria, Sibila Marques, que em Maio publicou o ensaio “Discriminação na Terceira Idade”, da Fundação Francisco Manuel dos Santos. “São os próprios idosos a acreditar na sua falta de valor”,, disse a Investigadora Superior de Ciências de Ciências do Trabalho e da Empresa, aquando do lançamento da obra.

Segundo o relatório de Prevenção contra os Maus-tratos a idosos, da Organização Mundial de Saúde o país tem 39,4 por cento de idosas vítimas de abusos.

Os dados mostram ainda que 32,9 por cento são vítimas de abusos psicológicos, 16,5 por cento são de extorsão, 12,8 por cento de violação dos seus direitos, 9,9 por cento de negligência, 3,6 por cento de abusos sexuais e 2,8 por cento de abusos físicos.

É uma vergonha o que se passa. Ainda por cima como país Cristão.

O grande escritor romano Virgílio relata na Eneida um episódio digno de reflexão. Aquando da destruição de Tróia, Anquises, pai de Eneias, tinha já uma idade avançada e mal podia andar. Por esse motivo pediu ao filho que se fosse embora da cidade, mas que o deixasse ali, pois não queria ser estorvo para a salvação do filho. E Eneias respondeu-lhe que nunca mais poderia viver em paz com a sua consciência se abandonasse o pai. E não esteve com mais: carregou aos ombros o seu pai e pegou pela mão o seu filho ao Lulo, até que os três ficaram a salvo.  

Maltratar uma criança ou um idoso – e sobretudo um pai ou uma mãe – é uma desonra que a todos nos deveria envergonhar. E a sociedade tem de recriminar tais atitudes. M.V.P.    

================================ 

 

Parabéns a M.V.P. autor deste texto dramático que comove as pessoas do mais empedernido coração e, todavia, num país que se tem como Cristão.

Mas que exemplos vergonhosos se dão hoje à juventude e à infância que vai aprendendo os usos nefastos das faltas de amor e carinho pelos seus maiores?!

Também sei que muitos idosos são hoje explorados financeiramente e só os visitam e contactam nestas oportunidades para seu interesse pessoal.

O que muito indigna, é fazerem-se, depois, esquecidos sem terem, até, uma palavra ou um simples gesto de reconhecimento e até de desculpa. Muitos pagam a graça pelo seu abandono…

Ah! Mas a Deus ninguém O engana. Ficam registados e inscritos no “Livro da Vida” como ingratos.

 

C.B.S

 


publicado por canticosdabeira às 09:54
link do post | comentar | favorito
|

Sobre a autora

Visitantes desde 08/04/07

Novidades

MOTES DE ALEIXO
E
GLOSAS DE CLARISSE

Selo do Blog


Clarisse Barata Sanches

(Usa Ctrl+C p/copiar
e Ctrl+V p/colar
o selo no seu blog)

Prosa e poesia (por título)

CONSOLAÇÃO

Carta do Marquês. Nov2014

LÁGRIMAS OCULTAS

PASSANTES DA TERRA

TODA ESTA NOITE UM ROUXIN...

SAUDADES E LEMBRANÇAS

QUARENTA ANOS DE DEMOCRAC...

SAUDADES TENHO; SIM; DO N...

MAIS UM GOIENSE, AMIGO, N...

SE EU FOSSE DEPUTADO, QUE...

Prosa e Poesia (por mês)

links

favoritos

A PÁTRIA PORTUGUESA

Outras visitas


Prosa e Poesia (Meus Livros)



Clarisse Barata Sanches
Mais de 12 livros publicados:

Primeiro livro
Cantei ao Céu e à Terra
1983
(Poesias)

Segundo livro
Gracita Flor da Saudade
1985
(Poesias e Memórias)

Terceiro livro
Luz no Presépio
1985
(Poesias)

Quarto livro
Quadras do Meu Outono
1989
(Poesias)

Quinto livro
Hinos da Tarde
1994
(Poesias)

Sexto livro
Arca de Lembranças
1997
(Memórias)

Sétimo livro
Cartas para o Céu
1998
(Poesias)

Oitavo livro
Góis e Seus Poetas
1999
(Poesias - Antologia)

Nono livro
Góis e Seus Poetas
2000
(Poesias - Antologia)

Décimo livro
Murmúrios do Ceira
2002
(Contos e Narrativas)

Décimo primeiro livro
Sonhos da Alma
2004
(Sonetos)

Décimo segundo livro
Rosários de Amor
2008
(Poesias)

Motes de Aleixo e Glosas de Clarisse

Prosa e Poesia (Pesquisa)

 

De Clarisse Barata Sanches

Rosários de Amor

Dedicatória:
Aos “Rosários de Amor”


Boa amiga Clarisse,
Converti-me aos seus Amores.
São lindos os versos-flores!
Chorei... Queria eu que visse...

Não sei que “frio” me toma,
Ao ler tamanha beleza...
Não é frio, concerteza,
É o amor que me assoma.

Beijadas por andorinhas,
Se fazem as suas linhas,
Com glória, honra em flor.

Solta-se o “Grito de Paz”,
E ninguém mais o desfaz
Nos ”Rosários de Amor”.

Rosa Silva (“Azoriana”)
Angra do Heroísmo
2008/04/07

SAPO Blogs

subscrever feeds